sexta-feira, 4 de agosto de 2006

Amor


Talvez a melhor forma de entendermos o amor não seja colocando ele acima de todos os dons, mas enxergando-o como o elemento que traz significado aos dons.



Imaginando nos como os membros do corpo de Cristo, e o próprio Cristo como a cabeça desse corpo, o amor seria o coração, um órgão vital para a manutenção do bom desempenho dos membros do corpo ao comando da cabeça – Cristo.


O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.



Pense no amor que você tem demonstrado ao seu próximo.





Enviar um comentário