sábado, 17 de fevereiro de 2007

SALVOS PELA GRAÇA

"Irmãos, vocês sabem que há muito tempo Deus me escolheu dentre vocês para que os gentios ouvissem de meus lábios a mensagem do evangelho e cressem. Deus, que conhece os corações, demonstrou que os aceitou, dando-lhes o Espírito Santo, como antes nos tinha concedido. Ele não fez distinção alguma entre nós e eles, visto que purificou os seus corações pela fé. Então, por que agora vocês estão querendo tentar a Deus, pondo sobre os discípulos um jugo que nem nós nem nossos antepassados conseguimos suportar? De modo nenhum! Cremos que somos salvos pela graça de nosso Senhor Jesus, assim como eles também".

Discurso de Pedro no concílio de Jerusalém (Atos 15).

O livro de Atos dos Apóstolos contém 28 capítulos, e exatamente o primeiro capítulo da segunda metade da carta trata exatamente da centralidade da fé cristã, e de uma vez por todas há uma ruptura na observação da lei mosaica pelos seguidores de Jesus Cristo.

Após a ressurreição e a ascensão de Jesus, os apóstolos cheios do Espírito de Deus espalham a mensagem do evangelho em Jerusalém, mas por não cumprirem Atos 1:8, Atos 8:1 se cumpre no meio da Igreja e as boas novas começam a alcançar os gentios. Muitos gregos, romanos e bárbaros se convertem ao evangelho, e conseqüentemente surge um dilema no meio da Igreja – Devem os gentios convertidos observarem a lei de Moisés?

O capítulo quinze deste livro relata o extraordinário concílio de Jerusalém, convocado devido à austeridade com que alguns cristãos judeus exortavam os gentios a se circuncidarem e observarem a lei de Moisés, sem a qual não haveria salvação. Paulo e Barnabé em grande contenda com esses que profanavam o evangelho de Jesus são chamados à Jerusalém. Em meio a muito fervor nas discussões, Pedro toma a palavra e faz um breve discurso que viria a por fim a essa disputa - Cremos que somos salvos pela graça de nosso Senhor Jesus!

Pedro e Paulo haviam concluído que a Lei era um jugo impossível de ser suportado, e que se ela fosse relevante para a salvação do homem o sacrifício de Cristo havia sido inútil. Jesus nos lembra que Ele cumpriu as exigências da Lei e por isso convida todos que estão cansados e sobrecarregados (pela Lei) a tomar seu jugo e fardo, pois são suave e leve, ao contrário da Lei (Mt 11:28-30).


Infelizmente, após 2000 anos de cristianismo continuamos a presenciar o mesmo embate, homens inescrupulosos que se valem da lei para aprisionar e subjugar os cristãos, apresentando um estereotipo de santidade que em nada difere do moralismo, e por fim anulam a graça de Jesus. A liberdade cristã é convertida em escravidão religiosa, vivemos atemorizados em nossas cavernas, doentes e isolados do mundo.

Uma pequena reflexão nos levará a constatar que todo nosso sistema eclesiástico está fundamentado numa estrutura semelhante a sacerdotal do Velho Testamento e que inúmeras ordenanças da lei de Moisés estão presentes em nossa comunidade, e sem suporte algum no Novo Testamento.

Disse Jesus, "ai de vocês também!, porque sobrecarregam os homens com fardos que dificilmente eles podem carregar, e vocês mesmos não levantam nem um dedo para ajudá-los (Lc 11:46).



Enviar um comentário