sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Espero te decepcionar, ó homem 21!


















Em tempos de mudança, é comum me sobrevir a perplexidade

Turbilhões de pensamentos e imagens me saturam

A mente divaga e uma pergunta soa e ressoa em mim:

- Qual o sentido da vida?


Se o pregador diz que tudo nessa vida é vaidade

Se tudo passa

Só me resta focar no eterno


O problema é que sou homem

Essa verdade traz uma mensagem embutida

Sou fraco, repleto de inconstância


Logo, se como pra viver, e trabalho pra comer

Por que eu vivo?

A morte procura me enlouquecer com a efemeridade da vida


Assim concluo, minha vida tem que ser intensa

Ser intenso na minha geração é correr e fazer

Mas minha alma cristã não condiz com o status quo

Mais importante do que fazer é como fazer


Ser continua a melhor opção entre ter ou parecer


Aiaiai! Os padrões de Deus não fecham com este século

Eu terei que decepcionar alguém

Por isso fico contrito e rogo:

Senhor, que eu venha desapontar a minha geração!

Enviar um comentário