quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Entregamos o nosso dom mais precioso

Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos. (Provérbios 23:26)

Salomão fala em nome de Deus.

Coração aqui neste texto refere-se aquilo que é de mais central e profundo no homem. 

Podemos considerar o coração como:
  • O centro dos desejos e propósitos (Hb 4:12, 2 Co 9:7);
  • O centro da vida intelectual (Pv 16:1);
  • O centro da vida emocional (Jo 14:27) e
  • O centro da vida moral (At 8:21).
O Senhor Jesus nos advertiu de que onde estiver o nosso tesouro (àquilo que temos por precioso e importante na vida), aí também estará o nosso coração (nossas preocupações, nosso esforço, nossa dedicação), Mt 6:21.
O Senhor Jesus nos ensinou que ter dois senhores não dá certo, porque no final das contas ficaremos com uma mente dividida e ao menos um dos dois senhores iremos desagradar (Mt 6:24).
Nós recebemos o mandamento de amar a Deus sobre todas as coisas (Dt 6:5, Mc 12:30), e isso envolve todo o nosso coração, toda a nossa alma, todo o nosso entendimento e toda a nossa força.
O senhorio de Jesus deve ser sobre todo o nosso ser, inclusive o coração. E Jesus nos advertiu que não deve haver competição em nosso coração, pois tudo deve lhe pertencer. Nosso amor a Jesus deve ter primazia inclusive em relação a nossa família (Mt 10:37), a nós mesmos (Mt 10:38) e ao mundo (1 Jo 2:15).
O melhor exemplo de entrega que temos foi de Abraão, que estava disposto a entregar o que ele tinha de mais precioso caso lhe fosse requisitado por Deus, inclusive seu único filho Isaque (Gn 22). E a mais bonita expressão/oração de entrega que temos nas Escrituras é do rei Davi: - Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente (Sl 16:2). 
Será que hoje, assim como o rei Davi, podemos nos apresentar em total consagração ao Senhor, entregando tudo àquilo que somos e temos, reconhecendo que o nosso bem supremo é o próprio Senhor?
Enviar um comentário