quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Esperança e perseverança

Reflexão sobre II Pedro 3:1-18
 Esperança
O cristianismo nos fala sobre esperança. É isso mesmo, na fé cristã não há espaço para o conformismo com o mal, com a injustiça, como tudo o que está estragado e não funciona mais direito. A expectativa que Jesus trouxe para os seus seguidores é que algo novo e superior nos espera, um rompimento total com a realidade do pecado e o seu sofrimento.
Porém, a novidade que nos aguarda envolve toda a criação e não apenas a humanidade. Essa novidade é chamada pelo apóstolo Pedro de restauração ou renovação de tudo àquilo que outrora fora criado por Deus e era muito bom. Já o apóstolo João nos fala sobre uma nova terra e um novo céu, sobre uma cidade que desce do céu (Ap 21:1-5), o que logo nos traz à mente a oração do Pai Nosso – venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu (Mt 6:9-13).
Vejamos alguns versos em específico que demonstram essa esperança:

Até chegar o tempo em que todas as coisas serão renovadas (restauradas). (At 3:21, discurso de Pedro)
Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. (II Pe 3:12)
Então vi um novo céu e uma nova terra. (Ap 21:1, visão de João)

Aquilo que é impossível ao homem, restaurar todas as coisas que foram manchadas pelo pecado e voltar o estado da natureza a era anterior à queda do homem, Deus promete fazer. E sua obra já está em curso! E nós não podemos ficar de fora, somos convocados a nos arrepender e voltarmos a Deus, e começar hoje a viver segundo a sua vontade e participar dessa obra maravilhosa.

Perseverança
Ao mesmo tempo em que olhamos para o futuro glorioso que nos aguarda, devemos viver o presente com perseverança. É isso que o apóstolo Pedro está nos advertindo, como Paulo já havia afirmado outrora “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos.” Rm 13:11. Isso significa que devemos viver em sobriedade, de forma coerente com a experiência que professamos.
Vamos entender um pouco sobre os três tempos da grande salvação operada por Jesus Cristo:

  • Fui salvo (passado) da penalidade do pecado imediatamente ao confessar Jesus Cristo, alcançando assim a reconciliação com Deus, e isso pela fé. Ou seja, eu fui justificado por Jesus Cristo.
  • Estou sendo salvo (presente) do poder do pecado progressivamente por meio da atuação do Espírito Santo, alcançando assim a libertação, e isso pelo relacionamento de amor com Deus. Ou seja, Eu estou sendo santificado.
  • Serei salvo (futuro) da presença do pecado finalmente no retorno de Jesus Cristo, alcançando assim a glória perdida, e isso pela esperança na obra perfeita de Deus. Ou seja, serei glorificado.

É isso que Pedro está nos exortando. Não se deixe levar por aqueles que rejeitam o evangelho de Jesus, mas permaneçam perseverantes, ainda que as circunstâncias sejam adversas. Vale lembrar que essa espera não é passiva, mas antes promovendo a vontade de Deus, seu Reino, seus valores, lembrando que os novos céus e a nova terra será um rompimento com o pecado, mas não com a nossa identidade e história.

Por isso vale a pena considerar:
A restauração de todas as coisas se sucederá da mesma forma como foi na criação e no dilúvio (3:5-6). Quando ninguém estiver esperando(3:10)!
O dia do Senhor envolverá restauração para a Criação, juntamente com aqueles que guardaram a fé, e destruição para aqueles que rejeitaram o evangelho (3:10-14)!
O cumprimento da promessa do Senhor parece demorar, e isso porque ele tem estendido esse período de arrependimento para que muitos provem a salvação. Mas não se engane sua volta não tarda (3:9)!

Recomendação final:
  1. Acautelai-vos das pessoas imorais para que não caírem da sua posição segura (3:17).
  2. Continuem a crescer na graça e no conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo (3:18).
Enviar um comentário