terça-feira, 25 de maio de 2010

Parábola da Videira e dos Ramos


“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda para que dê mais fruto ainda. Vocês já estão limpos, pela palavra que lhes tenho falado. Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim.
Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma. Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que é jogado fora e seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados. Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos. João 15:1-8”

A videira foi um símbolo muito utilizado no Antigo Testamento e se referia a Israel (Salmo 80, Isaías 5:1-5, Jeremias 2:21). Essa videira (nação de Israel) plantada pelo Senhor por diversas vezes se encontrava degenerada, esperava-se pela colheita de bons frutos e a única coisa que produzia eram uvas azedas, uma alusão a rebeldia de Israel e seu estado caótico, entregue a sua própria sorte.

Deus é o agricultor, aquele que planta e cultiva a videira. Quando Jesus diz que é a videira verdadeira, Ele está dizendo que a promessa a Abraão de fazer Israel uma bênção para todas as nações se cumpriu, Jesus é o verdadeiro Israel. Em Jesus se cumpre as expectativas de formar para Si um povo exclusivamente Seu, separado por Deus e zeloso na prática das boas obras, a Igreja de Jesus.

A imagem da parábola é a comunhão mútua de Jesus (videira) com seu povo, seus discípulos (ramos) que tiram dEle força e vida para produzir frutos. Deus é quem cuida com atenção amorosa e provê as condições necessárias para o desenvolvimento completo da vide, para que produza o máximo de frutos quanto o possível. A Palavra (Bíblia) é o meio que o Agricultor usa para efetuar a poda, fazer a limpeza.

A seiva que flui pelo caule até o ramo, capacita-o para que produza o fruto, sem isso ele fica improdutivo. A fé em Jesus e a aceitação de suas palavras iniciam uma relação, pela qual sua vida e eterno poder estão à disposição do crente. O fruto ao qual a parábola se refere é a semelhança com Jesus, manifestada pela obra do Espírito Santo na vida do cristão “o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” Galátas 5:22-23. As pessoas que mostram essa semelhança evidenciam que são verdadeiros discípulos, enquanto a madeira que não dá fruto só serve como combustível.
Enviar um comentário