segunda-feira, 21 de junho de 2010

A relação entre o reino dos céus e as crianças

“Então, lhe trouxeram algumas crianças para que as tocasse, mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, vendo isto, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele. Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava.” (Marcos 10:13-16).

A desumanização da criança na antiguidade tem paralelo no abuso, maus tratos e abandono das crianças de hoje. A Declaração dos Direitos das Crianças pela ONU em 1959 é o marco do início de uma luta pela defesa, promoção e proteção dos direitos da população infanto-juvenil. Porém o cristianismo iniciou sua luta pela dignidade e valorização da criança muito antes, veja o que o nosso Senhor Jesus nos ensinou.

Jesus valoriza as crianças

Embora os adultos ignorassem as crianças e os próprios discípulos de Jesus julgassem que seu Mestre não havia tempo para desperdiçar com estas pela sua inutilidade, Jesus os contraria e valoriza as crianças. Jesus traz as crianças para o centro das atenções e repreende aqueles que tratam as crianças com descaso, Jesus as valoriza e ressalta sua dignidade mostrando que o reino de Deus também pertence a elas.

Jesus chama atenção para o cuidado com as crianças

Jesus nos adverte a não embaraçar (complicar, impedir) os pequeninos de achegarem a Ele. Temos essa missão de conduzir as crianças ao conhecimento do Salvador. Também temos a missão de prover espaços e oportunidades para o desenvolvimento das crianças em nossa comunidade, na igreja.

Com exceção de Adão e Eva, todo ser humano passa pela infância. O próprio Senhor Jesus veio ao mundo como criança e se desenvolveu entre nós. A importância do ambiente familiar para o desenvolvimento da criança é de extrema importância. A escolha de Maria e José para receberem a graça da adoção/paternidade sob o menino Jesus não se deu pelas suas posses (eram humildes, pobres), mas a retidão do caráter de ambos foi fator determinante (Mateus 1).

O cuidado com a criança é importante e merece a atenção de todos. A criança não pode padecer de fome, de maus tratos, de educação, de um lar e do evangelho. O desenvolvimento integral da criança é de responsabilidade nossa e não podemos nos esquivar desse dever.

Jesus ilustra o reino de Deus com as qualidades das crianças

Jesus advertiu seus discípulos dizendo que as crianças também fazem parte do reino de Deus, que elas têm valor e são dignas de nossa atenção e cuidado. Mas Jesus não parou por aí, Ele comparou algumas virtudes das crianças com a vida no Reino, indispensáveis aos seus seguidores.

“Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele.” Obviamente Jesus não está dizendo para nos comportar de maneira infantil, imatura. Somos advertidos a receber o reino de Deus como uma criança recebe alguma coisa, com entrega e intensidade. O reino de Deus não é daqueles que se acham “dignos”, é um presente e deve ser recebido e valorizado como tal.

“O reino de Deus pertence aos que confiam, são receptíveis e amigáveis, e que permanecem íntegros face às dificuldades e desilusões, ao cinismo e pessimismo que tantas vezes deprimem e desfiguram a vida adulta” (R. V. G. Tasker).

Precisamos lembrar constantemente dos nossos deveres como comunidade, não podemos nos esquecer o negligenciar o cuidado dos pequenos, inclusive das crianças que requerem atenção maior. Temos a responsabilidade de instruí-las nos caminhos do nosso Senhor.



Enviar um comentário