segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Resiliência... Da dor à esperança


Resiliência - este termo, tomado da metalurgia, designa a capacidade de alguns metais para resistir a pancadas e recuperar a estrutura interna depois de terem sido submetidos a uma força deformadora. No campo psicossocial é usado para definir a capacidade das pessoas de se recuperarem de uma adversidade.

Foram identificados dois componentes fundamentais desta capacidade:
1. A capacidade de resistir, de não ser destruído ao enfrentar uma situação dolorosa ou de alto estresse.
2. A capacidade de construir apesar e a partir da adversidade.

Este conceito traz, então, uma concepção renovadora e esperançosa, na qual são hierarquizados os recursos pessoais e grupais para superar as dificuldades inerentes à vida humana.

Esse conceito de resiliência do ser humano ao sofrimento apresentado pelo programa Claves* está presente na Bíblia. Aprendemos nas Escrituras que...

• Deus é poderoso para nos consolar e nos capacitar para consolar os que sofrem – “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo (2Co 1:3-5)”.

• Deus é poderoso para nos restaurar – “Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador (Tt 3:5-6)”.

• Deus é poderoso para converter o mal que nos sobreveio em bem – “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado (Rm 5:3-5)”.

A perseverança é uma virtude cristã (2 Co 4:16-18), precisamos lembrar em meio ao sofrimento que não somos os únicos que sofrem, muitos dos nossos irmãos ao redor do mundo também estão sofrendo coisas parecidas ou até pior (1 Pe 5:9), precisamos buscar força em Deus para permanecer firmes na fé – está chegando um dia no qual não haverá mais maldade (Ap 21:1-4)!

Por fim, mas não menos importante, é preciso lembrar que o perdão é essencial para a restauração. Por mais dolorosa que possa ser, a restauração completa só virá com a capacidade de perdoar o agressor (Rm 13:17-21). O perdão é terapêutico, é o remédio de Deus para uma geração má – “Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem (Rm 13:21)”.

*Manual metodológico do programa Claves, Mocidade para Cristo do Uruguai.


Enviar um comentário