segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O verdadeiro sentido do natal

O feriado do Natal é muito comemorado no Brasil e em vários países do mundo, seja por pessoas cristãs ou não. É um momento tradicional de reunir a família em volta da mesa, trocar presentes, enfeitar a casa e para muitos uma desculpa para afrouxar os freios morais e sociais.

Não há nada de errado em reunir a família ou trocar presentes. O problema é que muitas vezes acabamos por nos esquecer do verdadeiro sentido do Natal. É muito comum nos esquecer o que estamos celebrando nesta data, e conseqüentemente substituir a adoração a Jesus por ideais de fraternidade que os elementos desta festa possuem, substituindo as boas novas do menino Jesus pelos presentes e glamour do Papai Noel.

O nascimento de Jesus, o Salvador foi anunciado pelo profeta Isaías 600 a.C.
Mas para a terra que estava aflita não continuará a obscuridade. Deus, nos primeiros tempos, tornou desprezível a terra de Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, tornará glorioso o caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios.
O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz.
Tens multiplicado este povo, a alegria lhe aumentaste; alegram-se eles diante de ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando repartem os despojos.
Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre eles, a vara que lhes feria os ombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas; porque toda bota com que anda o guerreiro no tumulto da batalha e toda veste revolvida em sangue serão queimadas, servirão de pasto ao fogo.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto.
Isaías 9:1-7
O profeta nos trouxe a esperança de redenção por meio de um menino que viria ao mundo. Esse menino traria consigo luz ao mundo, as pessoas que andavam sem saber para aonde estavam indo (sem direção) seriam guiadas por esse bom pastor. Essa criança viria desfazer essa sombra da morte que aterrorizava a todos, o desespero de viver em inimizade com o próprio Deus.

A alegria de receber esta criança é comparada como momentos de festa pela provisão de uma grande colheita, ou pelo alívio de sair vitorioso na guerra. Essas imagens se assemelham muito com a missão do Messias, trazer libertação para os oprimidos pelo pesado jugo de seu opressor, saciar a fome daqueles que a muito se desviaram de Deus e não encontram alimento noutro lugar.

O menino que Isaías anuncia traz uma grande missão sobre os seus ombros, reconciliar o homem com Deus. Trazer a verdade, justiça e paz para um mundo em caos, essa sim a imagem final de seu trabalho.

Os nomes que a criança carrega consigo mesma nos revela sua identidade, o caráter de sua missão. A sabedoria que acompanha Jesus é sublime, Ele veio testemunhar a verdade. Seu reino não terá fim. E a salvação estará ao alcance de todos. A esperança que raiou, envolve a encarnação do Filho de Deus, seu nome será Deus forte. A imagem que o profeta nos apresenta é do próprio Deus intervindo na nossa história, nos amando e trazendo salvação. O mistério do Deus-homem vivendo e habitando entre nós, se humilhando, servindo e redimindo a sua criação.

A garantia que o profeta oferece é o zelo de Deus. O amor do próprio Deus é que fará isso. A intencionalidade é toda do Pai, sua misericórdia e graça nos levarão a esta realidade.

As palavras de Isaías não caíram por terra. Esse novo reino foi inaugurado pelo advento de Jesus, o menino que há mais de dois milênios trouxe a paz, Deus para perto de nós.
Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo.
Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.
Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco).
Mateus 1:20-23

Enviar um comentário