sábado, 24 de Abril de 2010

Parábola do grão de mostarda


“Jesus continuou: — Com o que podemos comparar o Reino de Deus? Que parábola podemos usar para isso? Ele é como uma semente de mostarda, que é a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce muito até ficar a maior de todas as plantas. E os seus ramos são tão grandes, que os passarinhos fazem ninhos entre as suas folhas.” Marcos 4:30-32

Para obter-se um grama de semente de mostarda, são necessárias algumas centenas desta semente. Uma vez plantada, ao alcançar sua plenitude, esta hortaliça pode atingir até 3 metros de altura. Jesus utiliza-se desta imagem cotidiana para ilustrar o desenvolvimento do reino de Deus.

O contraste entre o tamanho da semente e o tamanho da planta, faz-se relação com a pregação do evangelho, mostra o progresso do evangelho, que para um início tímido em relação à quantidade de adeptos teve um fim grandioso. Estipula-se que 2 bilhões de pessoas no mundo se denominam cristãs.

Jesus utiliza-se desta parábola para mostrar como as boas novas do reino de Deus haveria de alcançar todo o mundo, o que de fato aconteceu e poucos lugares/culturas ainda não ouviram está maravilhosa notícia de redenção.

Além de ouvir a boa notícia, muitas pessoas de diferentes culturas e épocas têm encontrado abrigo neste reino de paz, justiça e amor. Assim como os passarinhos fazem ninhos no seu ramo, da mesma forma o pecador arrependido encontra vida em abundância no reino de Deus, através da obra redentora de Jesus Cristo no espaço, no tempo e na história.

Mas a parábola fala também da obra de Deus em nossa vida, o crescimento da vida de Cristo em nossa alma, o progresso da vida cristã. Um pequeno começo no coração do homem, que a luz da revelação de Cristo, arrepende-se dos seus pecados e submete-se ao governo de Jesus, e que gradativamente influência todo o seu ser/caráter, ao ponto de fazer deste outrora perdido pecador, parecido com seu Mestre.

Agora além de abrigo, este homem regenerado desenvolve uma função neste reino de Deus. Como os ramos desta hortaliça, o cidadão do Reino tem a função de servir de abrigo aos passarinhos. Outrora separado de Deus, agora este cristão recebe o título de embaixador de Cristo, com a missão de reconciliar o mundo a Deus através da pregação do Evangelho. Ver II Coríntios 5:17-21.
Enviar um comentário