segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O crescimento do Corpo de Cristo

“E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo. O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função.”         Efésios 4:11-16
Paulo já havia orado pelos seus leitores, para que a maravilhosa obra de Deus se cumprisse em suas vidas. Agora, o autor passa a mostrar a forma que Deus escolheu para realizar essa obra em nós.

Primeiramente podemos notar que Deus opera em nossa vida por meio da comunhão dos irmãos. Qualquer projeto de vida individualista é completamente antagônico a vontade de Deus. Fomos chamados por Ele para fazer parte de sua Igreja, metaforicamente ilustrada como um corpo, o corpo de Cristo. O nosso chamamento envolve uma vida compartilhada, na qual aprendemos a dar e receber.

Em segundo lugar, esse Corpo é coordenado por Cristo, que é a cabeça. Ele desempenha esse papel principal de promover o desenvolvimento dos membros e orientar o bom funcionamento de cada parte. Cada cristão está individualmente ligado a Cristo e por meio dEle ligado a seu irmão. A imagem é de interdependência um do outro, somos dotados de responsabilidades e privilégios nesse ambiente de amor.

Uma observação importante é que os dons citados pelo apóstolo estão relacionados ao conhecimento da vontade de Deus. Isto significa que somos dotados da graça dEle para conhecer os seus propósitos, e esse exercício envolve uma capacitação divina e uma jornada em comunidade. O isolamento, ou a auto-suficiência indicam uma incapacidade de alcançar esse conhecimento, parece que apenas compartilhando as partes é que chegaremos ao conhecimento do todo. 

Em terceiro lugar, o bom funcionamento do Corpo tem um propósito muito bem definido. A medida que cada membro se desenvolve e se fortalece pelo auxílio mútuo, a fé e o conhecimento de Jesus vão tomando formas mais definidas e consistentes, ao que denominamos de maturidade cristã. Para mostrar este processo Paulo usa o desenvolvimento do corpo humano para explicar este amadurecimento, uma vez que a infância é a etapa da vida posterior a conversão, um momento de formação e de bastante vulnerabilidade. O apóstolo está mostrando que precisamos prosseguir na fé para alcançar a maturidade de discernir a verdade em qualquer circunstância.
Enviar um comentário